Escute e baixe o cd Hainda ha Esperanca da Missionária Maria de Lurdes

Amigos

DEUS VAI TE AJUDAR (Salmos. 12.5 / Isaias 41.10)

- Na nossa pequena mente as vezes pensamos que Deus não pode fazer ainda grandes coisas, Deus sempre está pronto para ajudar, mas neste esboço, há quatro classes que Deus se interessa e age imediatamente.
- Ele quer ajudar:

1) OS CANSADOS E SOBRECARREGADOS 
- CANSADOS da vida, dos problemas, das dificuldades, desanimados (há uma carga pesando na sua vida?) 
- Deus quer dar o alívio imediato, Deus se preocupa sim com sua vida cansada, sem ter esperança, sem ter paz, Ele vai te tirar agora esse peso que você não consegue nem caminhar nesta vida (Mateus 11:28 ; Salmos 10:18)

- OS SOBRECARREGADOS (Os oprimidos) 
- São aqueles que sofrem opressões tanto do mundo como das pessoas e as demoníacas 
- Há gente que vai a terreiros dizem lá que vai descarregar tudo, mas voltam como mulas e cavalos de cargas de Satanás e seus demônios, Jesus agora vai tirar esse peso essa opressão, você vai dormir em paz tranqüilo (Salmos 4:8), Jesus vai te libertar neste culto, a opressão vai sair, os demônios vão fugir.
- Há poder no sangue de Jesus doenças serão eliminadas, Ele quer tirar o peso da opressão, se você quer levante a tua mão (Você que está ministrando cuidado fique atento pois demônios podem neste momento tentar oprimir vidas que ainda estão sendo escravizadas nesta mensagem eu tive uma experiência). Jesus quer libertar e ajudar essas vidas.

2) OS DECEPCIONADOS E AMARGURADOS 
- Mas Jesus nunca decepciona ninguém 
- DECEPÇÃO (é a desilusão, é o desenganado, é o caído) - Mas Jesus se levanta do trono agora.

-AMARGURA 
- É a tristeza colocando suas garras e invadindo o coração do homem, deixando raízes profundas na alma (oh cansado, oh amargurado, oh triste Jesus vai te ajudar)
- Ele ajudou RUTE (Rute 1:20)
- Ele ajudou Ana (I Samuel 1:10)
- Ele ajudou o paralítico de Betesda (João 5:5-8)Ele vai te ajudar agora

3) OS DESESPERADOS E AFLITOS 
- aqueles que perderam... tudo e ainda mais... Perderam a vontade de viver, a esperança de acreditar em alguma coisa (mas creia somente Maria e marta estavam em aflição seu irmão morreu (Lázaro) , mas Jesus disse se creres verá a Glória de Deus, creia que Ele está te vendo agora nesta aflição.
- Ele viu Daniel na cova.
- Ele viu Ananias, Misael e Azarias (Sadraque, Mesaque e Abedenego), na fornalha ardente.
- Ele viu as multidões como ovelhas sem pastor.
- Ele viu o choro de Hagar no deserto.
- Ele viu Jó na aflição depois de todas as percas possíveis que um homem pode ter na vida.
- Ele quer mudar essa insegurança, de quem está inseguro, Ele quer tirar o sofrimento desta ansiedade (I Pdro. 5.7; Jó . 6.26; Gênesis 16:17; João 16.33).

4) OS QUE NÃO TEM SALVAÇÃO
- Os deuses, ídolos, homens, objetos, mantras, simpatias, benzimentos, pagamento de promessas, velas a mortos não tem o poder de salvar a vida do homem, não podem salvar - Só em Jesus Cristo temos a salvação Ele quer te salvar (Atos 4.22; Filipenses 2.12; Romanos 13:11).

CONCLUSÃO:
- Deus quer te ajudar agora, basta você chegar até a Ele, aquele que vem a Mim de modo nenhum Eu lançarei fora.
PrLuisDicara

O CONCEITO DA IDEOLOGIA DE GÊNERO


 Por Marcelo Oliveira de Oliveira

O que é?
Em primeiro lugar, a ideia de “gênero” como construção histórica e social, segundo a consultora cultural, Marguerite A. Peeters, remonta uma fabricação intelectual, sem fundamento na realidade. O gênero proposto pelos ideólogos não é uma realidade identificável. É uma abstração da realidade, mera teoria sem lastro no dia a dia da vida. Aqui está o perigo, na verdade a sordidez de um plano “diabólico”: Forçar a “crença” numa teoria social a fim de usar, principalmente, crianças e adolescentes como cobaias humanas é de uma perversidade sem limites.
Um falso fundamento
O jornal Gazeta do Povo, do Estado do Paraná, publicou um estudo (o mais importante sobre o tema) – Ideologia de Gênero: estudo do American College of Pediatricians – em que a teoria de que o gênero é uma construção social não tem base científica e que a sua aplicação na educação de crianças e de adolescentes traz danos muitas vezes irreversíveis à saúde psíquica. Ter esta consciência é importantíssimo para os que se sentem atacados por essa teoria social. Assim, a ideologia de gênero não tem base científica e, por isso, como afirmamos, este é um de muitos aspectos que confirmam sua distorção da realidade.

A trincheira da ideologia de gênero
No campo científico é impossível a ideologia de gênero propagar-se. Como toda teoria que visa alterar o comportamento social, sua trincheira é a educação de crianças e de adolescentes. Na escola é que os pais se depararão com a agressividade dessa teoria. Trata-se, sim, de uma guerra cultural e ideológica. Querem tomar a mente das crianças e dos adolescentes a fim de pôr em prática uma agenda hegemônica cultural. E a trincheira para esse plano é a Escola. Não por acaso que toda iniciativa do avanço da ideologia de gênero visou aprovar leis que obriguem a inserção do tema no Plano Nacional de Educação e nos currículos locais de educação (municípios).

O papel da igreja e da família

Na igreja e na família é onde se encontra a resistência de imposições hegemônicas. Por isso que estas duas instituições, ao longo dos séculos, sempre foram, e continuarão a ser atacadas. A igreja e a família são instituições que devem resistir em Deus ao avanço dessa agenda. O ministério de ensino
da igreja, por meio do discipulado cristão, e a vivência da família segundo os preceitos das Sagradas Escrituras são o antídoto para proteger a nossa geração.

(Texto extraído da revista Ensinador Cristão, nº 74, editada pela CPAD)  

Maior líder muçulmano da Arábia Saudita pede a destruição de todas as igrejas cristãs

Perseguição aos cristãos no Oriente Médio pode resultar em conflito global



O sheik Abdul Aziz bin Abdullah, o grão-mufti da Arábia Saudita, maior líder religioso do país onde Maomé nasceu, declarou que é “necessário destruir todas as igrejas da região.”
sheik Abdul Aziz bin Abdullah
Tal comentário do líder muçulmano foi uma resposta ao questionamento de uma delegação do Kuwait, onde um membro do parlamento recentemente também pediu que igrejas cristãs fossem “removidas” do país.
O grão-mufti salientou que o Kuwait era parte da Península Arábica, e por isso seria necessário destruir todas as igrejas cristãs de lá.
“Como acontece com muitos muftis antes dele, o sheik baseou sua fala na famosa tradição, ou hadith, que o profeta do Islã teria declarou em seu leito de morte: ‘Não pode haver duas religiões na Península [árabe]’. Isso que sempre foi interpretado que somente o Islã pode ser praticado na região”, explicou Raymond Ibrahim, especialista em questões islâmicas.
A importância dessa declaração não deve ser subestimada, enfatiza Ibrahim: “O sheik Abdul Aziz bin Abdullah não é um líder muçulmano qualquer que odeia as igrejas. Ele é o grão-mufti da nação que levou o Islã para o mundo. Além disso, ele é o presidente do Conselho Supremo dos Ulemás  [estudiosos islâmicos] e presidente do Comitê Permanente para a Investigação Científica e Emissão de Fatwas.  Quando se trata do que o Islã prega, suas palavras são imensamente importantes “.
No Oriente Médio, os cristãos já estão enfrentando perseguição maior, incluindo a morte, nos  últimos meses. Especialmente nos países onde as facções militares islâmicas têm aproveitado o vácuo de poder criado pelas revoluções da chamada “Primavera árabe”, como Egito, Líbia e Tunísia, Jordânia, Marrocos, Síria e Iêmen.
Os cristãos coptas, por exemplo, que vivem no Egito há milênios estão relatando níveis mais elevados de perseguição de muçulmanos. No Norte de África, os muçulmanos prometeram erradicar o cristianismo em alguns países, como a Nigéria. No Iraque, onde os cristãos tinham algumas vantagens durante o governo de forte Saddam Hussein, populações cristãs inteiras fugiram. O Irã também tem prendido crentes e fechado igrejas mais do que de costume.
Ibrahim escreveu ainda em sua coluna: “Considerando a histeria que aflige o Ocidente sempre que um indivíduo ofende o Islã, por exemplo, uma pastor desconhecido qualquer,  imagine o que aconteceria se um equivalente cristão do grão-mufti, digamos o papa, declarasse que todas as mesquitas da Itália devem ser destruídas, imaginem o frenesi da mídia ocidental. Imediatamente todos os veículos gritariam insistentemente  “intolerância” e “islamofobia”, exigiriam desculpas formais e apelariam para uma reação dos políticos”.
O estudioso acredita que uma onda de perseguição sem precedentes está prestes a ser iniciada na região, que ainda testemunha Israel e Irã viverem ameaçando constantemente fazerem ataques. O resultado disso pode ser um conflito de  proporções globais.  Traduzido e adaptado de Arabian Business e WND

A verdadeira história do Natal

Muitas vezes sou criticado por não comemorar ou melhor não idolatrar essa data como muitos fazem. O natal que todos comemoram não tem vinculo nenhum com o nascimento de Cristo, mas isso é tema para outro dia assim como idolatrar a São Nicolau na forma de bom velhinho que também quero abordar esse assunto aqui no blog.
Espero que leiam e entendam e deixo alguns versículos que são o maior mandamento de Deus tanto para cristãos protestantes como católicos.

Exodo 20;
1 Então, falou Deus todas estas palavras:
2 Eu sou o SENHOR, teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão
3 Não terás outros deuses diante de mim.
4 Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra
5 Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o SENHOR, teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem.




A humanidade comemora essa data desde bem antes do nascimento de Jesus. Conheça o bolo de tradições que deram origem à Noite Feliz


Roma, século 2, dia 25 de dezembro. A população está em festa, em homenagem ao nascimento daquele que veio para trazer benevolência, sabedoria e solidariedade aos homens. Cultos religiosos celebram o ícone, nessa que é a data mais sagrada do ano. Enquanto isso, as famílias apreciam os presentes trocados dias antes e se recuperam de uma longa comilança.

Mas não. Essa comemoração não é o Natal. Trata-se de uma homenagem à data de "nascimento" do deus persa Mitra, que representa a luz e, ao longo do século 2, tornou-se uma das divindades mais respeitadas entre os romanos. Qualquer semelhança com o feriado cristão, no entanto, não é mera coincidência.
A história do Natal começa, na verdade, pelo menos 7 mil anos antes do nascimento de Jesus. É tão antiga quanto a civilização e tem um motivo bem prático: celebrar o solstício de inverno, a noite mais longa do ano no hemisfério norte, que acontece no final de dezembro. Dessa madrugada em diante, o sol fica cada vez mais tempo no céu, até o auge do verão. É o ponto de virada das trevas para luz: o "renascimento" do Sol. Num tempo em que o homem deixava de ser um caçador errante e começava a dominar a agricultura, a volta dos dias mais longos significava a certeza de colheitas no ano seguinte. E então era só festa. Na Mesopotâmia, a celebração durava 12 dias. Já os gregos aproveitavam o solstício para cultuar Dionísio, o deus do vinho e da vida mansa, enquanto os egípcios relembravam a passagem do deus Osíris para o mundo dos mortos. Na China, as homenagens eram (e ainda são) para o símbolo do yin-yang, que representa a harmonia da natureza. Até povos antigos da Grã-Bretanha, mais primitivos que seus contemporâneos do Oriente, comemoravam: o forrobodó era em volta de Stonehenge, monumento que começou a ser erguido em 3100 a.C. para marcar a trajetória do Sol ao longo do ano.
A comemoração em Roma, então, era só mais um reflexo de tudo isso. Cultuar Mitra, o deus da luz, no 25 de dezembro era nada mais do que festejar o velho solstício de inverno - pelo calendário atual, diferente daquele dos romanos, o fenômeno na verdade acontece no dia 20 ou 21, dependendo do ano. Seja como for, esse culto é o que daria origem ao nosso Natal. Ele chegou à Europa lá pelo século 4 a.C., quando Alexandre, o Grande, conquistou o Oriente Médio. Centenas de anos depois, soldados romanos viraram devotos da divindade. E ela foi parar no centro do Império.
Mitra, então, ganhou uma celebração exclusiva: o Festival do Sol Invicto. Esse evento passou a fechar outra farra dedicada ao solstício. Era a Saturnália, que durava uma semana e servia para homenagear Saturno, senhor da agricultura. "O ponto inicial dessa comemoração eram os sacrifícios ao deus. Enquanto isso, dentro das casas, todos se felicitavam, comiam e trocavam presentes", dizem os historiadores Mary Beard e John North no livro Religions of Rome ("Religiões de Roma", sem tradução para o português). Os mais animados se entregavam a orgias - mas isso os romanos faziam o tempo todo. Bom, enquanto isso, uma religião nanica que não dava bola para essas coisas crescia em Roma: o cristianismo.
Thiago Minami e Alexandre Versignassi
Adaptação Jean Krause

Share/Bookmark

Semíramis, obelisco e a farsa do natal!

Olá a Paz de Cristo seja com todos!
Encontrei esse artigo no site do do Bispo Macedo, e embora não concorde com algumas praticas do Bispo, que fique bem claro que não sou contra os crentes da Universal e nem contra a Igreja Universal, porem não concordo com muitos métodos e praticas do Bispo, mas no entanto achei o  artigo muito bom  e e é importante compartilhar.
Fonte - www.bispomacedo.com.br/

Leia também A Verdadeira historia do natal!

Leia também O nascimento do natal e seus símbolos


Muitos cristãos, inocentemente, aderem a práticas religiosas sem ao menos se atentarem que, na realidade, repetem alguns dos mesmos atos e 'rituais' de culturas pagãs passadas. A comemoração do Natal e o 'culto' à sua árvore são exemplos de como muitos conseguem ser iludidos pela religião.

Semíramis e a farsa do Natal e sua árvore

Para falar do NATAL, é preciso voltar ao tempo de NOÉ, após o dilúvio,


quando um de seus filhos, CAM, o viu dormindo embriagado e nu. Ele começou a rir de seu pai e correu para contar aos seus outros dois irmãos, SEM e JAFÉ.


Estes, ao contrário, foram de costas e cobriram a nudez do pai. NOÉ, quando soube do acontecido, amaldiçoou seu filho CAM, para que este e seus descendentes servissem a seus outros dois filhos. E toda a geração após ele se tornou maldita.


CAM casou-se com SEMÍRAMIS (esta é a mulher da nota de 1, 2, 5, 10, 20, 50 e 100 reais; a mulher da Estátua da Liberdade; a mulher da balança da justiça; da Columbia Pictures, etc.)



e ambos geraram um filho, NINRODE. Ele matou seu pai CAM e casou-se com sua mãe.


Foi o fundador da Babilônia, Nínive e outras cidades pagãs. Tentou levantar a torre de BABEL, e DEUS o impediu.


Seu tio SEM o matou, pois ele estava se opondo muito contra DEUS. SEMÍRAMIS, sua mãe e esposa, espalhou a mentira de que ele não havia morrido, e sim que havia ido para o céu, pois ele se dizia deus - o deus sol.


SEMÍRAMIS engravidou e dizia ser um presente dos deuses, que era a reencarnação de NINRODE; mas, na verdade, era fruto de uma traição, pois seu marido, e filho, já estava morto. E nasceu TAMUZ, no dia 25 de dezembro, deus sol dos egípcios, babilônicos, gregos, persas, romanos e, hoje, das S.S. (sociedades secretas).


Ele morreu durante uma caça, provavelmente por um animal selvagem, e seu corpo ficou caído sobre um tronco apodrecido de árvore. Sua mãe dizia que neste tronco nasceu um pinheiro, e todos os anos, no dia 25 de dezembro, era comum as pessoas levarem um pinheiro para dentro de casa e o enfeitarem com ouro e prata, como símbolo do renascimento de TAMUZ.


As sacerdotisas jejuaram e choraram por 40 dias e 40 noites a morte de TAMUZ ao pé do pinheiro e, no final desse período, elas agradeciam umas às outras fazendo trocas de presentes, os quais eram depositados aos pés desse pinheiro. Todos os anos, no dia 25 de dezembro, era comemorado o Natal (nascimento de Tamuz).


Quando os PERSAS dominaram essa região, eles levaram todas as idolatrias para a PÉRSIA, inclusive os deuses TAMUZ, NINRODE E SEMÍRAMIS, que apenas mudaram de nome. O domínio, em seguida, passou para os GREGOS, e estes fizeram a mesma coisa, mudando apenas os nomes; eles passaram a ser ZEUS, AFRODITE E EROS.


Em seguida, os EGÍPCIOS dominaram e mudaram os nomes também, passando a se chamar OSÍRIS, ÍSIS E HORUS.


Já nos tempos de JESUS CRISTO, o domínio era ROMANO, e ROMA mudou também os nomes. Passaram a se chamar apenas VÊNUS E CUPIDO, caindo a figura do pai. E no Século IV, depois de CRISTO, o imperador CONSTANTINO, para agradar aos CRISTÃOS que eram em grande número em ROMA, decidiu oficializar o CRISTIANISMO como religião oficial de ROMA. E para agradar ainda mais a eles, pegou os nomes mais fortes dentro do CRISTIANISMO e passou a chamar os ídolos por nomes CRISTÃOS.


TAMUZ e SEMÍRAMIS passaram a se chamar MENINO JESUS e VIRGEM MARIA. Assim, o Natal continuou a ser comemorado como sendo o nascimento do menino JESUS, mas, na verdade, esse menino seria TAMUZ, o deus pagão.



Outro engano disfarçado são os obeliscos. Feitos de uma pedra em forma quadrangular e alongada, os monumentos, preferencialmente, eram colocados na área central de amplos espaços abertos e nos templos do deus sol, Rá. E, apesar de no antigo Egito obelisco significar ‘proteção’ ou ‘defesa’, saiba o que realmente representa.

Obelisco


Você está olhando para a mais famosa representação pública do ato sexual no mundo. Este obelisco, no meio da satânica Roda das Oito Etapas para a Iluminação, encontra-se na Praça de São Pedro, no Vaticano. Bastante interessante ver uma representação sexual no Vaticano, pois eles falam muito sobre sexualidade, uma prova de que o catolicismo romano é uma forma de satanismo muito profunda. Outra prova é a ‘cruz invertida’, usada pelo papa.

Concluímos que o Obelisco é um monumento feito para adorar deuses, simbolizando a bandeira de Lúcifer e o ato sexual.

Fonte - www.bispomacedo.com.br/

Estado Islâmico chega a Jerusalém prometendo matar cristãos

Folheto com ameaças dá prazo até o final do mês

Este ano o mês de Ramadã, sagrado para os muçulmanos, está sendo marcado por uma série de atentados e ameaças por parte do Estado Islâmico em diferentes partes do mundo.
Ignorado pela grande mídia, o surgimento de um panfleto com o símbolo do Estado Islâmico em plena Jerusalém assusta. O material escrito em árabe foi espalhado na porção oriental de Jerusalém, reivindicada pela Autoridade Palestina como sua capital.
A mensagem é clara. Todos os cristãos árabes vivendo na porção ocidental de Jerusalém, devem sair de lá até o final do Ramadã ou serão mortos. Segundo a imprensa israelense atualmente cerca de 12.000 árabes cristãos vivem na capital.
Divulgado apenas por alguns sites judeus, a notícia alarmante surge no mesmo dia em que o Papa deu sua bênção para que a Autoridade Palestiniana se torne uma nação independente.

O Vaticano ignora a realidade que existem milhares de cristãos árabes em Israel e que sempre desfrutaram de liberdade religiosa. Mesmo assim nunca se manifestou sobre as ameaças que são feitas àqueles cristãos que vivem nas cidades palestinas.
A comprovação de um Estado Islâmico na Palestina – nome que assina os panfletos – mostra que as ameaças dos jihadistas de invadir Israel podem estar cada vez mais perto de se concretizarem.
Existem registros de jovens que saíram da Palestina para se juntar ao Estado islâmico nos últimos anos. No ano passado, foguetes foram lançados de Gaza contra Israel durante a guerra.
Bandeiras com símbolos do EI foram vistas no Monte do Templo em Jerusalém em meados de 2014.
No início deste mês, um vídeo do grupo extremista, mostra o lançamento de um ataque a partir da Faixa de Gaza contra o povo israelense. Movimentações militares nas Colinas de Golan, que marcam a fronteira do norte de Israel com o sul da Síria – dominada pelo EI – mostram que extremistas estão acampados a poucos quilômetros da fronteira. Com informações de Times of IsraelJewish Press e Gospel Prime

Pastores dizem não terem medo de serem executados por pregar o Evangelho


Os dois pastores que foram acusados de “ofender as crenças islâmicas“, e que poderão ser condenados a pena de morte, afirmam que não tem medo de morrer.

Yat Michael e David Yein, falaram por telefone de sua cela com George Thomas, correspondente internacional da CBN em Cartun, segundo publicou a revista Charisma News.

Michael disse que eles têm sofrido intimidação psicológica e lhes proibiram de falar com sua família por dois meses.

“Quando fui preso, me perguntaram por que eu estou pregando aqui. Eu lhes disse: ‘Eu estou pregando, porque este é meu chamado. Eu sou um pastor. Eu tenho que falar sobre a Palavra de Deus’,” ele disse.
“As autoridades lhes responderam: ‘Não é necessário pregar a Palavra de Deus com uma agenda escondida’, eu disse: ‘Eu não tenho nenhuma agenda escondida. Acusaram-me que eu sou um espião aqui. ”
O pastor Yein afirma que confiam em Deus e não tem medo. “Eu não tenho medo de nada, porque eu acredito que Deus me escolheu para sofrer.” No entanto eles pedem oração para que sua prisão seja para a glória de Deus e que tenham paz com aqueles que os acusam.

O advogado dos dois pastores disse que as evidências apresentadas contra os seus clientes foram obtidas de maneira ilegal.

Apesar de estarem na prisão e sob o risco de serem condenados à morte por causa de Jesus, Yein diz que vai continuar anunciando as Boas Novas da salvação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Blog da Missionaria © 2011 | Designed by Blog do Adorador, colaboração de Lindas Mensagens, Alliance and By Blogger